F4U em ação nos porta-aviões Americanos- Pousos forçados


Description autos |  119 937

O Vought F4U Corsair (pronuncia-se váut éf-for-iú corsér) (popularmente chamado de Hog; designação da RAF: Corsair Mk.I) foi um caça-bombardeiro estadunidense monoplace, monoplano, de asa baixa e que podia operar baseado em porta-aviões.
Em 1938, a Marinha Americana abriu concorrência para a construção de um caça leve que pudesse substituir os já quase obsoletos F4F Wildcat. Nenhum dos projetos apresentados satisfez a Marinha, até ser apresentado o projeto de avião feito pela Chance Vought (em parceria com a divisão estadunidense da Sikorsky).

Seu desenvolvimento foi um pouco problemático, principalmente devido ao motor colocado no avião: um Pratt & Whitney R-2800 radial, de 2.450hp de potência. A Vought precisou manter tal motor para que o avião (que podia pesar de 4,1 a 6,6 toneladas) pudesse voar, e então, precisou encontrar uma hélice compatível com tal motor. A hélice adequada tinha um diâmetro de giro de 4,5 metros, o que fazia com que, inevitavelmente, as pás se chocassem com o solo.

A solução mais viável seria aumentar o comprimento das hastes dos trens de pouso. Mas essa solução se mostrou insuficiente. Então, as asas ganharam um abaulamento na região dos trens de pouso, para afastar o avião do chão e, conseqüentemente, deixar a hélice livre. E deu ao F4U sua forma característica.
Logo em seu batismo de fogo na campanha em Guadalcanal, em fevereiro de 1943, o F4U (mais tarde apelidado de Hog por seus pilotos) logrou grande sucesso contra os japoneses, nas mãos do esquadrão VMF-124. Em todas as batalhas das quais participou, obteve considerável sucesso. Além de destruir os caças inimigos, os Hogs ainda eram designados para missões de caça a navios inimigos, atacando-os com bombas, e para apoio aero-terrestre, lançando bombas ou foguetes sobre as trincheiras inimigas. Os foguetes ainda permitiram que o Hog fosse usado como caça-tanques, função na qual ele obteve sucesso razoável.

A blindagem forte, a grande velocidade, a excelente visão do exterior e o farto armamento compensavam a manobrabilidade que o Hog tinha em menor quantidade que os aviões japoneses. Com isso, as condições de luta entre o F4U e o A6M Zero chegavam próximas da igualdade (o Zero tinha armamento fraco, visão do exterior ruim, nenhuma blindagem e era mais lento que o F4U, porém, era mais manobrável).

Em fins de 1943, surgiu na Marinha um caça superior, o F6F Hellcat. O Hellcat era superior ao Hog em muitos aspectos, porém, como não gozava da mesma versatilidade do F4U, este permaneceu em serviço até o fim da guerra, e ainda atuou na Guerra da Coréia e na Guerra do Futebol, quase sempre saindo vitorioso das batalhas que enfrentava.

Mas, se no ar o F4U trabalhava bem, em terra os pilotos sofriam com ele. O ângulo de inclinação da aeronave, quando em terra, era muito grande (devido à modificação nas asas e nos trens de pouso), o que praticamente acabava com a visão frontal do piloto, e conseqüentemente, tornando o Hog altamente suscetível a acidentes durante as operações de decolagem e aterragem.